Segunda-feira, 2024-05-27, 7:19 PM
Welcome Convidado | RSS

Menu
Login
Categorias
ESPORTES
noticias do esporte
NOTÍCIAS
informação
EVENTOS CULINÁRIA
HUMOR CURIOSIDADES
CIÊNCIA ANIVERSÁRIOS
PUBLICIDADE CARNAVAL
Notícias do carnaval baiano
PEGADINAS
HUMOR
Pesquisar
Metereologia

Main » 2013 » Dezembro » 5 » SP:GAROTO DE 8 ANOS É IMPEDIDO DE ESTUDAR POR CAUSA DO CABELO
11:25 AM
SP:GAROTO DE 8 ANOS É IMPEDIDO DE ESTUDAR POR CAUSA DO CABELO


Lucas Neiva, de 8 anos, está impedido de estudar em um colégio da cidade de Guarulhos em São Paulo, por conta do corte de cabelo que costuma usar. Segundo a mãe do menino, Maria Izabel Neiva, em agosto ela recebeu um bilhete de uma professora orientando-a a cortar o cabelo da criança. Ela negou, conversou com a diretora, mas de nada adiantou. Ao saber que não mais poderia matricular o filho na instituição, Maria procurou a polícia, que abriu um inquérito por racismo. 

 Quando ela Izabel decidiu não cortar o cabelo do garoto e mandou um bilhete à diretora da escola, obteve a resposta de que [esse tipo de] "cabelo [black power] não é usado no colégio pelos alunos".

 "Vim conversar com ela [diretora] pessoalmente, passei umas duas ou três horas, e falei que não atrapalha em nada o cabelo dele. Ele enxerga normalmente, o cabelo não está no olho, não atrapalha em nada. Mas ela disse que 'atrapalha os colegas a enxergar a lousa'". Ela [diretora] falou que o cabelo dele 'é crespo, cheio e inadequado. Venhamos e convenhamos, mãe'", contou Maria Izabel ao programa Bom Dia Brasil desta quinta-feira (5).

 Ainda de acordo com a mãe, ela disse que não recebeu nenhum aviso sobre a rematrícula do filho e ao procurar a secretaria da escola foi informada que já não havia mais vaga para o menino.

Para o delegado do 3º Distrito Policial, Jorge Vidal Pereira, a conduta da escola pode ser qualificada como racismo. 

 "Toda vez que a pessoa é impedida ou é tolhida de entrar em algum estabelecimento, inclusive em estabelecimento de ensino, que tenha a conotação que é por causa da cor ou do cabelo, está caracterizado dentro da lei que apura os crimes raciais", disse Pereira.

 De acordo com a polícia, a diretora da escola já foi notificada sobre o inquérito e deve comparecer na próxima segunda-feira (9) à delegacia para prestar depoimento.

 Em nota, a direção do colégio Cidade Jardim Cumbica disse que a mãe perdeu o prazo da rematrícula e que foi orientada a colocar o nome do filho na lista de espera. Ainda de acordo com a escola, a professora havia orientado a mãe a cortar o cabelo do menino porque a franja estaria atrapalhando a visão dele, mas que isso não tem relação com o fato de o menino não poder ser rematriculado. A direção considerou o inquérito policial como "absurdo".

Category: NOTÍCIAS | Views: 410 | Added by: Maira | Rating: 0.0/0
Registro de arquiv
                                 
Anúncios
Estatística

Total Online: 14
Convidados: 14
Usuários: 0
Sites
Cursos Online Profissionalizantes
Cursos Online 24 Horas - Certificado Entregue em Casa