Domingo, 2024-04-21, 2:45 AM
Welcome Convidado | RSS

Menu
Login
Categorias
ESPORTES
noticias do esporte
NOTÍCIAS
informação
EVENTOS CULINÁRIA
HUMOR CURIOSIDADES
CIÊNCIA ANIVERSÁRIOS
PUBLICIDADE CARNAVAL
Notícias do carnaval baiano
PEGADINAS
HUMOR
Pesquisar
Metereologia

Main » 2013 » Julho » 19 » POLÍCIA INVESTIGA MORTE DE GAROTA DE 14 ANOS
3:56 PM
POLÍCIA INVESTIGA MORTE DE GAROTA DE 14 ANOS


Stephane de Souza Brito era uma garota "normal, do bem, sem envolvimento com tráfico, com crime, com nada”, segundo descrição de parentes e amigos de Narandiba.

Aos 14 anos, ela ia a passeios da igreja e frequentava o 6º ano da Escola Estadual Heitor Villa Lobos, no Cabula VI. Mesmo assim, a vida dela foi interrompida por um tiro, por volta das 20h30 de quarta-feira, quando ela ia comprar pão.

No momento da tragédia, vizinhos se reuniam em comemoração ao aniversário de um dos moradores da Travessa Boa Vista, onde a garota morava. Muitas crianças brincavam em frente a uma igreja, enquanto adultos conversavam nas imediações.

Mas Stephane não fazia parte da festa. "Ela tinha saído para comprar pão. Estava na hora errada e no lugar errado. Eu não suspeito de ninguém, mas isso só acontece porque o Brasil não tem lei, a lei existe para proteger o errado”, desabafou um tio da garota, que não quis se identificar.

O delegado  Pedro Andrade, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o crime, disse que o autor dos disparos desceu de um carro prata e atirou em direção a outros homens que estavam na festa.

Os alvos não foram identificados, mas apenas Stephane foi atingida no rosto. Ela chegou a ser levada para o Hospital Roberto Santos, onde deu entrada às 21h10, depois de ser socorrida por um vizinho, mas não resistiu aos ferimentos e morreu às 21h40.

Andrade não descarta a hipótese de que o atirador seja alguém da região. "Não descartamos nenhuma possibilidade, mas acredito que seja um caso isolado. O bandido queria atingir alguém em específico e a menina foi baleada por acidente. Depois de disparar contra as pessoas, ele entrou no carro e fugiu. Algumas pessoas disseram que o bandido mora na região, na rua do Canal” contou o delegado Pedro Andrade.

Na manhã de ontem, amigos e vizinhos de Stephane não sabiam explicar o que teria motivado o crime. O tio da menina mostrava as marcas dos três tiros que foram disparados por um homem que, segundo ele, vestia a camisa do Bahia no momento do crime: um alcançou o portão da Igreja Pentecostal Revelação da Sabedoria Divina; o segundo atravessou a janela da Igreja Pentecostal Missionária Misericórdia de Deus e chegou ao altar; outro atingiu Stephane que, não teve reação para correr.

"Ela não teve perna para correr, ficou parada. Quando ela caiu, acharam que poderia ser outra pessoa, até a gente ver que era ela. O que revolta é que ela era inocente. Quando a pessoa tem envolvimento (com o crime), a família já espera, mas ela não tinha nada a ver com isso”, afirmou o tio.


Trauma 
Em choque, a mãe de Stephane, Maria da Paixão Ribeiro de Souza, não se conformava com a perda. "Minha filhinha, tão linda... Como é que uma pessoa vem atirando sem nem olhar quem está, se é inocente ou não?”, questionava, enquanto era amparada por amigos e familiares.

A garota era a filha mais nova de três que a mulher teve, e a única ainda viva. O mais velho havia falecido aos 2 anos de idade, depois de ser picado por um escorpião, enquanto o segundo morreu após ser atropelado, há quase uma década. "A menina não saía para lugar nenhum, a mãe vivia na cola dela e perdeu a filha desse jeito”, contou o tio de Stephane.


 Mas os moradores dizem que, apesar de ser uma área com problemas de segurança, assassinatos não são corriqueiros – pelo menos não no local onde Stephane foi morta. 

O corpo de Stephane será velado na capital e sepultado no cemitério da cidade de Nova Redenção, a 410 quilômetros de Salvador, cidade de origem da família da garota. Até o fechamento desta edição, a família não havia informado a data e horário do sepultamento.

Salvador é capital com mais mortes de jovens no país
Familiares e amigos de Stephane  de Souza Brito, 14 anos — morta em Narandiba com um tiro disparado por homens não identificados — não conheciam os números, mas a garota faz parte de uma estatística chocante.

Segundo o Mapa da Violência de 2013, divulgado ontem pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela), Salvador é a capital com maior número de homicídios de jovens entre 14 e 25 anos: foram 777 mortes em 2011. Atrás vêm Fortaleza (624) e Maceió (499).

Em números relativos, a capital baiana também se destaca com a terceira  maior taxa de homicídios de jovens entre 14 e 25 anos — 164,9 homicídios  por grupo de 100 mil jovens — atrás somente de Maceió (288,1) e João Pessoa (215,1).

Apesar dos números de destaque, houve uma melhora com relação ao número de 2010, quando foram mortos na capital baiana 907 jovens — taxa de 193,8.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) destaca que "os crimes contra a vida tiveram uma redução de 14% em Salvador, no acumulado de janeiro a maio de 2013, em relação ao mesmo período do ano passado” e também uma redução de 26,3% na Região Metropolitana.

Dos 15 municípios do país que ultrapassam a taxa de 100 homicídios por 100 mil habitantes estão Simões Filho, o primeiro da lista nacional (167), Porto Seguro, o 12º (105,9), e Mata de São João, o 14º (102,8).

A SSP destaca que Simões Filho teve uma redução de 33% nos casos de Crimes Violentos Letais Intencionais  na relação entre janeiro e maio de 2012 com o mesmo período deste ano.

Fonte: Correio

Category: NOTÍCIAS | Views: 834 | Added by: monica | Rating: 0.0/0
Registro de arquiv
                                 
Anúncios
Estatística

Total Online: 33
Convidados: 33
Usuários: 0
Sites
Cursos Online Profissionalizantes
Cursos Online 24 Horas - Certificado Entregue em Casa