Segunda-feira, 2022-11-28, 1:06 PM
Welcome Convidado | RSS

Menu
Login
Categorias
ESPORTES
noticias do esporte
NOTÍCIAS
informação
EVENTOS CULINÁRIA
HUMOR CURIOSIDADES
CIÊNCIA ANIVERSÁRIOS
PUBLICIDADE CARNAVAL
Notícias do carnaval baiano
PEGADINAS
HUMOR
Pesquisar
Metereologia

Main » 2014 » Julho » 3 » SALVADOR: PROTESTOS, SOCOS, POLITICAGEM E CANO ESTOURADO DA EMBASA MARCAM O 2 DE JULHO
10:14 PM
SALVADOR: PROTESTOS, SOCOS, POLITICAGEM E CANO ESTOURADO DA EMBASA MARCAM O 2 DE JULHO

A tranquilidade e inocência da pequena Brenda, de pouco mais de 1 ano, contrastou com a politicagem que percorreu o caminho da Lapinha ao Terreiro de Jesus, em ano eleitoral no dia que marca a Independência da Bahia.

Vestida dos pés à cabeça com as cores do Brasil, a garotinha balançava a bandeira do país embalada pelas bandas de fanfarra que davam ritmo à festa. Mas, logo o cortejo fora dividido em PT, DEM, PSB, PSol e alidados que se espremiam para sairem bem na foto.

De um lado, Wagner reafirmava o apoio a Rui, do outro, Souto e Neto diziam comemorar os aplausos recebidos pela população que, durante o hasteamento das bandeiras, ecoaram com mais força as vaias.

Há quem diga que a recepção do PT não foi nada bem-vinda, reação sentida por Wagner que disfarçou e desconversou ao encontrar o Bocão News: "Prefiro me concentrar nas pessoas que vieram homenagear a data maior da Bahia", disse. Pela tangente e com ajuda nacional, despontou Lídice com Eduardo Campos. Após cada um defender o seu e aproveitar para agaranhar votos na última comemoração popular antes do dia 5 de outubro, Eduardo Campos deixou a comitiva para fazer uma entrevista na Record e reecontrou o grupo no Pelourinho. Eliana tambem deixou a comitiva. Ambos se despediram na entrada da Estrada da Rainha, no Barbalho. Lídice seguiu ao lado de Eduardo, desta vez, o Vasconcelos, seu vice.

Mas, no meio do caminho, uma cena que foge ao simbolismo e tradição da festa marcou a caminhada. Militantes petistas e democratas trocaram socos. O motivo? ninguém sabe. Um gritava de um lado, outro se encostava um pouco mais e pronto. Pancada certa. A imagem fez o papel de manchar o evento e suscitou a briga que já extrapola as urnas. Entre os maiores representantes, só a social. Nada de muitos sorrisos, mas também nada que um hino não os colocasse na mesma escadaria.

Todavia, com a situação supostamente controlada, o povo conseguiu abrilhantar as ruas da Liberdade. Local, cujo nome foi reforçado pelos atos públicos de terceirizados da Oi, barraqueiros, servidores e vadias, ou melhor, pela marcha delas que reforçou a ideia de que as pessoas não são obrigadas a utilizar os termos masculino e feminino e disse ainda que o certo é "ser gente".

Enquanto tudo acontecia tinha gente que tentava se aproximar e ficava diante de uma poça d'água que gerava o desafio. Pular, pisar ou dar a meia volta? Uma mulher se arriscou e encorajou vizinhos que, de canto de boca, diziam: "foi o cano da Embasa que estourou".

Por fim, das comemorações efusivas que partiam das sacadas, dos gritos de quem cercava o cortejo principal e das fantasias que representavam a força e irreverência popular, os políticos fixaram a pauta principal. Dos tapas, empurra-empurra e do "esta eleição é nossa", há quem diga que Wagner se calou, Geddel comemorou, Rui tentou fazer a festa e Lídice foi para não passar batida.

Fonte: Bocão News

Category: NOTÍCIAS | Views: 403 | Added by: jorge | Rating: 0.0/0
                                 
Anúncios
Estatística

Total Online: 1
Convidados: 1
Usuários: 0
Sites
Cursos Online Profissionalizantes
Cursos Online 24 Horas - Certificado Entregue em Casa