Sexta-feira, 2022-10-07, 7:01 PM
Welcome Convidado | RSS

Menu
Login
Categorias
ESPORTES
noticias do esporte
NOTÍCIAS
informação
EVENTOS CULINÁRIA
HUMOR CURIOSIDADES
CIÊNCIA ANIVERSÁRIOS
PUBLICIDADE CARNAVAL
Notícias do carnaval baiano
PEGADINAS
HUMOR
Pesquisar
Metereologia

Main » 2013 » Maio » 25 » PM ACHA ARMA NA SAN MARTIN E APURA SE FOI A USADA NA MORTE DE CAPITÃO
10:49 AM
PM ACHA ARMA NA SAN MARTIN E APURA SE FOI A USADA NA MORTE DE CAPITÃO


Uma arma que pode ter sido utilizada no homicídio do capitão da PM, no dia 20 de maio, foi encontrada nesta sexta-feira (24), pela Polícia Militar, em Salvador. Segundo as informações da assessoria da Polícia Civil, o revólver calibre 38 estava no interior de uma caixa de papelão, juntamente com munições, em um beco conhecido como Fonte do Capim, região da Avenida San Martins, na capital baiana. A polícia apura se o revólver foi o mesmo usado para matar o capitão, de 33 anos, em um lava-jato.

Na quinta-feira (23), quando se entregou à polícia, o rapaz relatou que, após cometer o homicídio, fugiu em um mototáxi para a mesma região onde a arma foi encontrada nesta sexta, junto com o adolescente de 17 anos, que ainda é procurado pela polícia.

A arma foi entregue à Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, que a encaminhará ao Departamento de Polícia Técnica para que sejam realizadas as perícias, segundo a assessoria de comunicação da Polícia Civil.

O delegado responsável pelo caso, Marcos César, da Delegacia de Repressão a Roubo e Furto de Veículos (DRFRV), solicitou duas análises: a primeira para pedir a perícia da arma e a segunda para detectar algum projétil foi retirado do corpo da vítima durante a necropsia. O policial foi enterrado um dia após o crime. Com a informação pode ser possível realizar a comparação balística e detectar se o revólver encontrado é o mesmo utilizado no crime.

O delegado tem 10 dias para concluir o inquérito, prazo que pode ser prorrogado, informou a polícia. Já a perícia da arma tem prazo de 30 dias para a conclusão. Na terça-feira (21), uma outra arma foi encontrada na região da Baixinha de Santo Antônio, onde ocorreu o crime, no bairro de São Gonçalo do Retiro, mas a polícia já descartou a relação com o caso. O militar de 33 anos foi morto em um lava-jato na segunda-feira (20).

Confissão
O jovem de 18 anos que se entregou à polícia na quinta-feira (23) confessou ter matado o capitão da Polícia Militar em depoimento prestado sobre o caso à equipe do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), em Salvador.

No relato, o suspeito disse que a pretensão seria o roubo ao veículo, e que foi à casa da namorada após o crime porque tinha combinado de assistir um filme no cinema. Ele afirmou que relatou o caso à garota, que, assustada, recusou-se a sair com ele.

Ele foi ouvido pela delegada Claudenice Mayo, titular da Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), que iniciou a apuração sobre o caso porque a primeira pessoa indicada como suspeito tem 17 anos. Quatro advogados e a mãe do jovem acompanharam o relato. Ele foi indiciado por latrocínio.

Segundo a Polícia Civil, o jovem disse que foi convidado por um adolescente de 17 anos para roubar um veículo, que seria usado para o assalto a uma loja no dia seguinte, sem especificar o tipo de estabelecimento que seria alvo da ação.

O suspeito trajava farda escolar e utilizava uma mochila e, dentro dela, um revólver. O PM aguardava o carro ser lavado e foi abordado pelo suspeito assim que recebeu a chave do veículo pelo atendente após o serviço.

No relato, o suspeito contou que o policial entregou a chave do carro e tentou se aproximar dele, quando pediu que a vítima se afastasse e levantasse a camisa. Na ação, de acordo com o adolescente, o policial fez menção de que pegaria uma arma e, por isso, ele fez o disparo com o revólver dado pelo comparsa. Em seguida, os dois fugiram em relação à Avenida Luis Eduardo Magalhães e, em dois mototáxis, seguiram para a Avenida San Martin. O adolescente de 17 anos teria ficado com a arma do crime e ainda é procurado.

"Ele não sabia que era policial e se surpreendeu com a reação da vítima. Ele ia entregar o carro ao menor para fazer dinheiro", justificou o advogado Marcel Duarte. Ele foi encaminhado para uma carceragem, segundo a defesa, sem especificar qual.

Novas imagens


Novas imagens revelam outros detalhes do dia do crime. Mostram três rapazes caminhando do outro lado da rua onde está o lava jato. Um deles carrega uma mochila e os três conversam e olham para o carro do capitão e, a seguir, seguem em frente. Minutos depois, só o rapaz com a mochila volta e, após atravessar a rua, anuncia o assalto. O capitão joga a carteira no chão e entrega a chave do carro ao criminoso, mas ainda assim é obrigado a encostar na parede. É quando, segundo os investigadores, parece tentar puxar uma arma da cintura. O adolescente faz um único disparo. O militar cai e o atirador corre. Um homem que lavava o carro também corre assustado. Logo depois que o bandido atira e sai correndo, uma ambulância passa pelo local. Momentos depois, o rapaz que lavava o carro do capitão aparece desesperado, pedindo socorro. Nenhum carro para. Imagens da câmera de segurança divulgadas na quarta-feira (22) mostram o momento em que o capitão da Polícia Militar, Anativo Manoel da Conceição Neto, é atingido por tiros.

Autoria
Na manhã desta quinta, a polícia apontou um jovem de 18 anos como principal responsável da morte do capitão, ao contrário do indicado anteriormente, de que um adolescente de 17 anos teria cometido o crime. "Ele tinha passagem na delegacia. Quando a gente foi confirmar a ficha dele, viu que ele tem 18 anos completados em dezembro. Na realidade, inicialmente, se achava que era o adolescente filho da mulher que apareceu nas imagens. Depois, decobriu-se que é uma outra pessoa", explicou a delegada Claudenice Mayo. A mãe que afirmou ter reconhecido o filho nas imagens foi ouvida mais uma vez pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (23).

O jovem de 18 anos, agora apontado pela polícia, foi descrito pelo adolescente que prestou depoimento dizendo que havia emprestado uma mochila a ele. O capitão integrava a corporação há 14 anos, lotado atualmente na 2ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM). O corpo de Anativo Manoel da Conceição Neto foi enterrado na tarde da terça-feira (21), na Ordem Terceira Secular de São Francisco, no bairro da Baixa de Quintas.

Fonte: G1.com/BA

Category: NOTÍCIAS | Views: 491 | Added by: monica | Rating: 0.0/0
                                 
Anúncios
Estatística

Total Online: 4
Convidados: 4
Usuários: 0
Sites
Cursos Online Profissionalizantes
Cursos Online 24 Horas - Certificado Entregue em Casa