Quinta-feira, 2021-12-02, 7:13 AM
Welcome Convidado | RSS

Menu
Login
Categorias
ESPORTES
noticias do esporte
NOTÍCIAS
informação
EVENTOS CULINÁRIA
HUMOR CURIOSIDADES
CIÊNCIA ANIVERSÁRIOS
PUBLICIDADE CARNAVAL
Notícias do carnaval baiano
PEGADINAS
HUMOR
Pesquisar
Metereologia
Main » 2017 » Abril » 18 » PAPA RECUSA CONVITE DE TEMER PARA VISITAR O BRASIL E PEDE ATENÇÃO A POPULAÇÕES CARENTES
3:10 PM
PAPA RECUSA CONVITE DE TEMER PARA VISITAR O BRASIL E PEDE ATENÇÃO A POPULAÇÕES CARENTES
Foto: Franco Origlia/ Getty ImagesConvidado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para visitar o Brasil, o papa Francisco declinou à proposta. Por meio de uma carta, o pontífice justificou que sua intensa agenda de eventos o impossibilitaria de voltar ao país neste ano. O presidente havia feito o convite ainda em 2016 na expectativa de que o líder da Igreja Católica viesse participar das celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. Na carta de resposta, Francisco aproveitou para pedir que Temer promova ações a fim de evitar o agravamento do quadro da população carente do país. "Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, começou o papa. "Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, pontuou, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da "Globo News”. Diante de um cenário de instabilidade política e econômico em que o governo tenta aprovar importantes reformas, o papa destacou ainda que não se pode "confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”.Convidado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para visitar o Brasil, o papa Francisco declinou à proposta. Por meio de uma carta, o pontífice justificou que sua intensa agenda de eventos o impossibilitaria de voltar ao país neste ano. O presidente havia feito o convite ainda em 2016 na expectativa de que o líder da Igreja Católica viesse participar das celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. Na carta de resposta, Francisco aproveitou para pedir que Temer promova ações a fim de evitar o agravamento do quadro da população carente do país. "Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, começou o papa. "Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, pontuou, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da "Globo News”. Diante de um cenário de instabilidade política e econômico em que o governo tenta aprovar importantes reformas, o papa destacou ainda que não se pode "confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”.Convidado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para visitar o Brasil, o papa Francisco declinou à proposta. Por meio de uma carta, o pontífice justificou que sua intensa agenda de eventos o impossibilitaria de voltar ao país neste ano. O presidente havia feito o convite ainda em 2016 na expectativa de que o líder da Igreja Católica viesse participar das celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. Na carta de resposta, Francisco aproveitou para pedir que Temer promova ações a fim de evitar o agravamento do quadro da população carente do país. "Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, começou o papa. "Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, pontuou, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da "Globo News”. Diante de um cenário de instabilidade política e econômico em que o governo tenta aprovar importantes reformas, o papa destacou ainda que não se pode "confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”.Convidado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para visitar o Brasil, o papa Francisco declinou à proposta. Por meio de uma carta, o pontífice justificou que sua intensa agenda de eventos o impossibilitaria de voltar ao país neste ano. O presidente havia feito o convite ainda em 2016 na expectativa de que o líder da Igreja Católica viesse participar das celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. Na carta de resposta, Francisco aproveitou para pedir que Temer promova ações a fim de evitar o agravamento do quadro da população carente do país. "Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, começou o papa. "Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, pontuou, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da "Globo News”. Diante de um cenário de instabilidade política e econômico em que o governo tenta aprovar importantes reformas, o papa destacou ainda que não se pode "confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”.Convidado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para visitar o Brasil, o papa Francisco declinou à proposta. Por meio de uma carta, o pontífice justificou que sua intensa agenda de eventos o impossibilitaria de voltar ao país neste ano. O presidente havia feito o convite ainda em 2016 na expectativa de que o líder da Igreja Católica viesse participar das celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. Na carta de resposta, Francisco aproveitou para pedir que Temer promova ações a fim de evitar o agravamento do quadro da população carente do país. "Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, começou o papa. "Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, pontuou, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da "Globo News”. Diante de um cenário de instabilidade política e econômico em que o governo tenta aprovar importantes reformas, o papa destacou ainda que não se pode "confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”.es

Foto: Franco Origlia/ Getty Images

Convidado pelo presidente Michel Temer (PMDB) para visitar o Brasil, o papa Francisco declinou à proposta. Por meio de uma carta, o pontífice justificou que sua intensa agenda de eventos o impossibilitaria de voltar ao país neste ano. O presidente havia feito o convite ainda em 2016 na expectativa de que o líder da Igreja Católica viesse participar das celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. Na carta de resposta, Francisco aproveitou para pedir que Temer promova ações a fim de evitar o agravamento do quadro da população carente do país. "Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, começou o papa. "Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, pontuou, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da "Globo News”. Diante de um cenário de instabilidade política e econômico em que o governo tenta aprovar importantes reformas, o papa destacou ainda que não se pode "confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”.

Category: NOTÍCIAS | Views: 323 | Added by: Milena | Rating: 0.0/0
                                 
Anúncios
Estatística

Total Online: 5
Convidados: 5
Usuários: 0
Sites
Cursos Online Profissionalizantes
Cursos Online 24 Horas - Certificado Entregue em Casa