Quinta-feira, 2023-02-09, 9:20 AM
Welcome Convidado | RSS

Menu
Login
Categorias
ESPORTES
noticias do esporte
NOTÍCIAS
informação
EVENTOS CULINÁRIA
HUMOR CURIOSIDADES
CIÊNCIA ANIVERSÁRIOS
PUBLICIDADE CARNAVAL
Notícias do carnaval baiano
PEGADINAS
HUMOR
Pesquisar
Metereologia

Main » 2013 » Fevereiro » 19 » JUIZ DE MONTE SANTO DEFINE QUE MÃE BIOLÓGICA FIQUE COM FILHOS E RECEBA INDENIZAÇÃO
4:34 PM
JUIZ DE MONTE SANTO DEFINE QUE MÃE BIOLÓGICA FIQUE COM FILHOS E RECEBA INDENIZAÇÃO


A lavradora baiana Silvânia da Silva venceu mais uma etapa da disputa judicial pela guarda de seus cinco filhos, retirados de casa há um ano e oito meses e adotados irregularmente por quatro famílias do interior paulista. Na sentença publicada nesta segunda (18), o juiz Luiz Roberto Cappio julga improcedentes os pedidos de perda da guarda da lavradora da cidade de Monte Santo e os pedidos de adoção. Além disso, determina que as famílias paulistas paguem multa de R$ 3,6 mil por agir de má-fé, indenização por danos morais (cujo valor ainda será definido) e honorários de advogado dos pais biológicos  (R$ 36 mil). Ao saber da notícia, através do CORREIO, Silvânia chorou e afirmou que estava preocupada com o resultado do processo. "Eles (as crianças) estavam chorando pra não voltar (para São Paulo). Eles querem ficar aqui. Vou comemorar com eles, tomando conta, botando na escola”, disse a lavradora. Desde dezembro, ela é acompanhada por profissionais do Centro de Referência Especializada da Assistência Social (Creas) e do Centro de Referência da Assistência Social (Cras). "Todo mundo ficou feliz, principalmente os amigos dos meninos”, contou Silvânia. "O valor não reflete a importância dessas ações”, opinou o juiz Luiz Roberto Cappio. Ainda cabe recurso da decisão. "Os autores, com destinação quase doentia, devem interpor recurso”, afirmou. Das quatro famílias paulistas que adotaram os filhos de Silvânia, apenas uma desistiu do processo antes da publicação da sentença.

Na avaliação do magistrado, não foram respeitadas todas as etapas judiciais para Silvânia perder a guarda dos filhos. Na sentença, Cappio afirma que a guarda provisória foi concedida às famílias paulistas "do dia para noite”, contra a vontade dos pais biológicos e sem ser constatada situação de risco aos  menores. Entre as irregularidades, Cappio lembrou que Silvânia, Gerôncio Souza, pai de quatro das cinco crianças, e José Mário Silva, pai da filha caçula da lavradora, não foram ouvidos pelo Ministério Público antes das crianças serem levadas. Cappio, que assumiu a comarca de Monte Santo após o juiz Vitor Bezerra aprovar a retirada dos cinco filhos da lavradora, suspendeu a audiência para ouvir as famílias paulistas marcada para o dia 11 deste mês. "Nos autos, já havia provas suficientes para julgar antecipadamente. Se tornou dispensável e inútil  a audiência de instrução”.

O juiz já havia determinado a volta das crianças à Bahia em novembro. Há exatos dois meses, as crianças retornaram para casa, depois de passarem 15 dias no instituto Aldeia Infantil SOS de Rio Bonito, em São Paulo, onde psicólogos e pedagogos prepararam a família para o reencontro. Em Monte Santo, as crianças foram recebidas com fogos de artifício e festa. 

Fonte: Voz da Bahia

Category: NOTÍCIAS | Views: 475 | Added by: monica | Rating: 0.0/0
                                 
Anúncios
Estatística

Total Online: 2
Convidados: 2
Usuários: 0
Sites
Cursos Online Profissionalizantes
Cursos Online 24 Horas - Certificado Entregue em Casa