Sexta-feira, 2021-12-03, 5:33 PM
Welcome Convidado | RSS

Menu
Login
Categorias
ESPORTES
noticias do esporte
NOTÍCIAS
informação
EVENTOS CULINÁRIA
HUMOR CURIOSIDADES
CIÊNCIA ANIVERSÁRIOS
PUBLICIDADE CARNAVAL
Notícias do carnaval baiano
PEGADINAS
HUMOR
Pesquisar
Metereologia

Main » 2011 » Dezembro » 14 » FEIRA DE SANTANA: DELEGADA CONFIRMA, HOMEM QUE MATOU ESTUDANTE DE ODONTOLOGIA NÃO ERA PAI DELA
7:47 PM
FEIRA DE SANTANA: DELEGADA CONFIRMA, HOMEM QUE MATOU ESTUDANTE DE ODONTOLOGIA NÃO ERA PAI DELA

A Delegada Ana Virgínia Paim, titular da Delegacia especializada no Atendimento a Mulher (Deam) informou que Wilton Marques da Silva não era pai da estudante de odontologia da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) Raíssa Cristina Pereira Lemos, 20 anos. Ele era companheiro dela.
 
 
De acordo com a delegada, os familiares da estudante disseram que ela convivia com Wilton mais de cinco anos e não sabiam desta "relação de pai e filha" que eles tinham em Feira de Santana. O fato foi informado apenas quando eles chegaram à cidade.
 
Aos 14 anos, a  universitária saiu da casa dos verdadeiros pais, em Goiás, onde nasceu, e propagava a relação de pai e filha entre os colegas de faculdade
 
As investigações do assassinato de Raíssa seguido do suicídio de Wilson, seguem a tese de crime passional.

Segundo a delegada, até o momento não informações sobre a existência de uma terceira pessoa envolvida na relação, mas ele não estava aceitando o fato de Raíssa ir à faculdade e conhecer novas pessoas.
 
"Tudo isso influenciou a atitude dele e gerou ciúmes. Ele se sentiu menosprezado e percebeu que ela não estava mais lhe dando a mesma atenção”, disse a delegada
 
A estudante saiu de casa na última semana e foi morar sozinha. "Ele achava que merecia mais atenção e isso foi o que motivou o crime, pelo que a gente apurou”, pontuou.
 
A relação de Pai e Filha
 
A informação inicialmente divulgada foi de que Raíssa era filha de Wilton. O mesmo se referia como pai no bilhete deixado antes de cometer o suicídio, porém as palavras usadas e a atitude incomum gerou desconfiança por parte da imprensa e da população.  Como ja foi dito, a universitária propagava essa versão entre os colegas de faculdade.
 
Devido a diferença entre os sobrenomes foi levantada ainda, a hipótese de que os dois eram padrasto e enteada.  Agora, com a declaração da delegada proferida após depoimento de familiaresque vieram de Goiás, o fato foi esclarecido.



Fonte: Acorda Cidade
Category: NOTÍCIAS | Views: 431 | Added by: jorge | Rating: 0.0/0
                                 
Anúncios
Estatística

Total Online: 2
Convidados: 2
Usuários: 0
Sites
Cursos Online Profissionalizantes
Cursos Online 24 Horas - Certificado Entregue em Casa