DILMA QUER VENCER GUERRA DA COMUNICAÇÃO NO JOGO DO IMPEACHMENT - 5 April 2016 - JORGEQUIXABEIRA
Saturday, 2016-12-10, 9:11 PM
Welcome Guest | RSS

Menu
Login
Categorias
Cesta
Your shopping cart is empty
Pesquisar
Metereologia
Main » 2016 » April » 5 » DILMA QUER VENCER GUERRA DA COMUNICAÇÃO NO JOGO DO IMPEACHMENT
3:57 PM
DILMA QUER VENCER GUERRA DA COMUNICAÇÃO NO JOGO DO IMPEACHMENT

O anúncio feito pela presidente Dilma Rousseff, na manhã desta terça-feira, 5, de que não vai fazer reforma ministerial antes da votação do processo de impeachment, no plenário da Câmara, foi uma resposta do governo às tentativas de que ela estaria “comprando” votos dos parlamentares para votarem contra o impeachment. O governo está convencido de que está perdendo esta guerra da comunicação e que o Planalto e a presidente estão sob fogo cruzado por estarem fazendo um “toma lá da cá” para se manter no poder. O governo começa então a fazer uma guerra de contra-informação sob argumentação de que, da mesma forma que o Planalto faz alianças com os partidos da base, o vice-presidente Michel Temer, com a ajuda da Fiesp, estaria também procurando os parlamentares, para assegurar que eles terão espaço no novo governo, que poderá vir com o PMDB. O governo quer rechaçar que tudo o que faz é irregular ou ilegal e seus adversários, ao contrário, fazem tudo certo. “Por que o Planalto estaria comprando votos para derrubar o impeachment e o Temer está negociando uma legítima reforma ministerial para um governo do PMDB? Isso não é possível. Está errado. Essa guerra está sendo desigual”, desabafou um interlocutor da presidente. Além disso, o governo recebeu informações de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), está ameaçando deputados do PP dispostos a votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. A chantagem envolveria o Conselho de Ética da Câmara. A notícia que chegou ao Palácio do Planalto é que Cunha avisou a deputados do PP que têm nomes citados na Operação Lava Jato que podem se preparar para enfrentar processos de cassação do mandato no Conselho de Ética, caso apoiem Dilma. Até agora, apenas Cunha enfrenta esse processo, mas ele teria feito chegar aos colegas que várias representações chegariam ao Conselho de Ética se eles votassem contra o impeachment. Cunha nega a ameaça. Leia mais no Estadão.

Category: NOTÍCIAS | Views: 77 | Added by: Michele | Rating: 0.0/0
                                 
Anúncios
Estatística

Total online: 35
Guests: 35
Users: 0
Sites

Copyright MyCorp © 2016